sábado, 25 de novembro de 2017

O Último dos Tatuís - 1987


"Tatuí é uma espécie de crustáceo que habita praias arenosas, fazendo escavações na areia. São encontrados na zona de arrebentação das praias do Brasil, onde vivem enterrados na areia, a pouca profundidade. Sua presença é um indicador da qualidade ambiental de uma praia: praias com um certo grau de poluição ou de presença humana não costumam mais apresentar tatuís".

O Último dos Tatuís é uma criação do cartunista Argil (Gilberto Mauro Rodrigues) e trata, com bastantante veemência e crítica, do problema ambiental dos mares brasileiros. O Tatuí vive em uma praia devastada e entulhada de lixo!

Foi publicado em livro em 1987 com impressão da editora Ebal

Segundo o editor Otacílio D'Assunção Barros (Ota), Argil já é falecido.

Charge de Argil, ELEIÇÕES - Rio, Novembro de 1986. Vê-se as opções para o Governo do estado, o vencedor Moreira Franco, Gabeira, Agnaldo Timóteo e Sinwal Palmeira.

Charge de Argil para o jornal Última Hora, 1987.


terça-feira, 14 de novembro de 2017

Nossa Fauna - Folha de S. Paulo - 1965


Na sequência de Mundo Selvagem, Souza Filho emplacou a série de painéis Nossa Fauna, também para o suplemento Folhinha e também com distribuição da Maurício de Sousa Produções.



sábado, 11 de novembro de 2017

Mundo Selvagem - Folha de S. Paulo - 1965


O desenhista Souza Filho acabou se especializando em materiais sobre a natureza.

Em 1965, com distribuição da Maurício de Sousa Produções, publicou no suplemento Folhinha, da Folha de S. Paulo, a série Mundo Selvagem, em painéis verticais no estilo das Maravilhas da Natureza (True Life Adventures), da Disney.


quarta-feira, 8 de novembro de 2017

Malina - A Nação - 1964


Na sequencia da tira Aventura do Amazonas, Souza Filho realizou a série Malina, com história também ambientada na floresta, para o jornal A Nação, em 1964.

A Nação foi um tabloide paulistano das empresas O Esporte e A Hora que circulou entre 1963 e 1964, tendo como diretor-presidente J. B. Viana de Morais, como redator-chefe Nabor Caires de Brito e como editor de arte Luís Sanches.